Edema Agudo de Pulmão

A síndrome congestiva pulmonar, característica dos pacientes que apresentam insuficiência cardíaca de câmara esquerda, tem como última fase o edema agudo de pulmão.

O edema de pulmão ocorre como qualquer outro inchaço no nosso corpo, pelo extravasamento de líquidos dos vasos sanguíneos para os tecidos. Assim como há o acúmulo de água nas pernas quando alguém passa muito tempo sentado, nessa situação há o acúmulo de muita água nos pulmões. Porém, como falamos do órgão responsável por realizar as trocas gasos e possibilitar a respiração, a situação é mais grave.

Nos portadores da insuficiência cardíaca crônica, uma doença em que há diminuição da capacidade do coração em bombear o ar e manter seu fluxo corretamente., pode haver algum fator precipitante do edema que causa a descompensação do paciente para esse tipo de falta de ar extrema.

Em alguns casos, porém, o motivo da descompensação e do edema é súbito, como o infarto agudo do miocárdio, infecções no coração ou suas válvulas e uma crise hipertensiva grave. Em todos os casos, o edema é uma situação muito grave e o paciente que apresenta os sintomas deve procurar um médico imediatamente.

O acúmulo de líquidos no pulmão

A saída de líquidos dos vasos para o pulmão pode acontecer por dois motivos:

:: O aumento da pressão dentro dos vasos, causando o extravasamento dos líquidos;
:: O aumento da permeabilidade desses vasos, e assim, os líquidos são levados a sair dos vasos.


Nos pacientes com insuficiência cardíaca, a congestão é uma situação presente em quase 100% dos casos. Então, um certo nível de líquido no pulmão é comum e normalmente pede intervenções médicas ambulatoriais, como remédios que o paciente pode tomar em casa. Apesar de ser uma situação grave e importante, é possível controlá-la para que o paciente consiga viver a vida normalmente.

O edema agudo de pulmão, ao contrário, é uma situação de emergência e o sinal de que a doença do portador é tão grave que ele precisa ir imediatamente para um hospital. Quando ele ocorre, o pulmão está tão cheio de líquidos que não consegue realizar mais as trocas gasosas, e aí, impede o paciente de respirar adequadamente. Por isso, é uma situação de emergência para qualquer indivíduo e precisa de alguma intervenção imediata.

Sintomas do edema agudo de pulmão

A principal manifestação do edema agudo de pulmão é a intensa falta de ar que aparece repentinamente, que imposibilita o paciente de respirar. Junto com isso, ele pode sentir um chiado no peito, também sinal de que o pulmão está cheio de água.

Tratamento

A primeira atitude a ser feita quando o portador de edema agudo de pulmão chega ao pronto socorro é fornecer oxigênio – extremamente necessário para tentar fazer com que o aumento da concentração desse gás aumente a taxa de troca gasosa nesse pulmão inchado, e assim, permita que o paciente respire e oxigene seu sangue. Em alguns casos a taxa de oxigênio sanguíneo é tão ruim que é preciso intubar o paciente.

O segundo passo é fornecer medicações diuréticas, que tentem tirar todo esse líquido acumulado nos pulmões e possibilite que o indivíduo volte a respirar normalmente.

Para os casos em que a terapia medicamentosa não está funcionando tão bem, mas a intubação ainda não é necessária, indica-se suporte ventilatório não invasivo através de CPAP ou BIPAP. A pressão possitiva fornecida por esses métodos contribui para diminuir o retorno venoso, ou seja, impedir que mais sangue chegue e cause ainda mais congestão nesse pulmão. Estudos comprovam que a sua utilização nessa situação pode chegar a reduzir a mortalidade pelo edema agudo de pulmão em até 43% nos casos atendidos nos hospitais e por isso, o uso de CPAP e BIPAP está sugerido como tratamento de primeira linha nesses locais.